Quantcast
Calendário
Rede do EPL
Apóie o EPL
Próximos Eventos

Pequenos Guias para Grandes Ideias é uma série educacional do EPL de introdução a importantes pensadores libertários. Cada post é escrito para dar aos alunos com mentes abertas, um ponto de partida para aprender com os grandes provocadores e agitadores que contribuíram para as idéias de liberdade. 

Milton FriedmanQuem:  Milton Friedman (1912-2006) foi um dos economistas mais influentes da segunda metade do século 20 e um defensor público dos livres mercados. Como o líder da Chicago School of monetary economics, ele reavivou o interesse pela teoria quantitativa da moeda, que salienta a importância da quantidade de dinheiro como um instrumento de política governamental e como determinante dos ciclos econômicos e da inflação. Ele foi consultor econômico de Ronald Reagan e Richard Nixon e suas ideias sobre as políticas monetárias e fiscal, sobre a privatização e a desregulamentação, tiveram uma profunda influência sobre a política do governo na década de 1980. Ao longo de sua vida, seu trabalho foi caracterizado por um desejo de simplicidade e pela crença de que, em geral, os indivíduos podem determinar melhor o que é bom para eles. (more…)

por Lucas Lostoski

Coordenador Local do Estudantes pela Liberdade nos Estados Unidos

otismo

O movimento libertário tem um problema de atitude. Muitos libertários centraram seu foco sobre os erros do estado e não sobre os aspectos surpreendentes de uma sociedade livre. Eles falham em despertar nos outros a visão do que uma sociedade livre implicaria. Quando nós insistimos sobre os abusos do nosso governo renegado, nós nos conferimos uma imagem de trevas e pessimismo. Isso não quer dizer que não devemos apontar o abuso do estado; ao contrário, é importante destacar os males que os poderosos cometem. No entanto, reclamar do Presidente Obama, da TSA, e do estado social não podem ser a nossa única mensagem. Devemos ter uma mensagem positiva para complementar nossas referências. Sendo otimistas, permitimos que os outros percebam a beleza e graciosidade inerentes à liberdade. Nós seremos muito mais eficazes como movimento se pudermos focar os aspectos positivos da liberdade, porque os seres humanos respondem muito melhor às visões positivas que às negativas. (more…)

Pequenos Guias para Grandes Ideias é uma série educacional do EPL de introdução a importantes pensadores libertários. Cada post é escrito para dar aos alunos com mentes abertas, um ponto de partida para aprender com os grandes provocadores e agitadores que contribuíram para as idéias de liberdade.  O pequeno guia abaixo foi feito pelo doutor em direito empresarial André Luiz S.C. Ramos

O credo libertário, finalmente, oferece o melhor do passado americano e a promessa de um futuro ainda melhor. Ainda mais do que os conservadores. Libertários seguem a grande tradição liberal clássica que construiu os Estados Unidos e nos deu a herança americana de liberdade individual, de uma política externa pacífica, de um governo mínimo e de uma economia de livre mercado” (For a New Liberty: the libertarian manifesto, 1973).

Rothbard

Quem: Murray Rothbard nasceu em 2 de março de 1926 e morreu em 7 de janeiro de 1995, nos Estados Unidos. É considerado o fundador do moderno libertarianismo (ou anarco-capitalismo) e tem estudos seminais em diversas áreas do conhecimento humano, como história, economia e ciência política. Em história, era um exímio revisionista. Em economia, era um intransigente defensor do livre mercado. Em ciência política, era um crítico severo do estado. Foi o mais destacado aluno dos seminários que Ludwig von Mises ministrou durante anos na Universidade de Nova Iorque, e em virtude de ter Mises como seu grande mentor intelectual, foi o grande responsável pela difusão das idéias da Escola Austríaca de Economia nos Estados Unidos. Apesar do excelente currículo (PhD em Economia pela Universidade de Columbia), Rothbard foi sempre ignorado pelo mainstream acadêmico, mas hoje em dia sua vasta obra é lida e elogiada por um número cada vez maior de estudantes e professores em todo o mundo.

(more…)

por Felipe Melo França

Coordenador de Desenvolvimento Institucional do Estudantes pela Liberdade

Neste último mês de julho (2014) tive a honra de participar do seminário  “Rule of Law and fundamental rights: the liberal approach” organizado pela Fundação Friedrich Naumann Pela Liberdade. Adiante tentarei compartilhar algo do conteúdo e, sobretudo, da experiência que pude viver na Academia Internacional para Dirigentes (IAF). (more…)

por Isabella Lima
Coordenadora Local do Estudantes pela Liberdade
A história  seguir foi parte de uma de série de testemunhos  de líderes e ex-líderes do Estudantes Pela Liberdade sobre a sua experiência com a liberdade. Você pode se inscrever para a coordenação local do EPL aqui.
Meu nome é Isabella Lima, tenho 18 anos, sou coordenadora local do EPL em Natal/RN e comecei a cursar Ciências Econômicas em 2014. Confesso que quando era mais nova tinha sono nas minhas aulas de história e tudo que aprendi foi decorando. Decorei ano em que as pessoas nasceram, morreram e fizeram seus feitos. Nunca me foi ensinada a importância de refletir os fatos que a mim eram apresentados, nunca os questionava, pelo menos foi assim durante o meu ensino fundamental. (more…)

Por Philip Booth

Na última semana, o primeiro ministro britânico fez dois discursos importantes, expressando a opinião de que é dever do governo identificar e corrigir as falhas de mercado. Existem muitas críticas importantes a essa abordagem para o governo. A crítica austríaca argumenta, que o mercado é um processo de competição, e se a competição perfeita não existe, nós não podemos saber o resultado que emergiria se ela existisse. Portanto o governo não pode corrigir as falhas de mercado; ele pode meramente remover as barreiras para o processo competitivo que ele mesmo cria. Onde as falhas de mercado são percebidas emergindo como externalidades, pode ser também argumentado, que você precisa de um mercado para descobrir o valor dessas externalidades às pessoas afetadas. Governos não podem facilmente chutar esse valor.

Talvez a crítica mais fácil de entender conceitualmente, entretanto, venha da escola de Escolha Pública. Em um nível, a economia da Escolha Pública simplesmente nos pede para fazer as mesmas suposições acerca do comportamento humano na esfera política, como fazemos quando nós analisamos os mercados. Por exemplo, monopólios não levariam a problemas identificados nos livros-texto, se donos auto interessados não tentassem maximizar lucros; emissões de dióxido de carbono não nos assustaria muito se os consumidores não tentassem maximizar seu consumo para dados níveis de renda; falências bancárias não nos assustariam se bancos não respondessem a garantias governamentais por meio do aumento dos riscos que eles tomam. Em outras palavras, se auto interessados não operam no mercado, as chamadas falhas de mercados não emergiriam para os tipos de problemas que nosso primeiro ministro e outros identificam – pensam que isso pode gerar outros problemas. (more…)

Caro vereador Marcell Moraes,

Através desta carta eu gostaria de manifestar meu sincero incômodo com a produtividade de Vossa Excelência na criação de leis. Ainda mais incômodo é o orgulho com que ostentas a inacreditável marca de 300 projetos apresentados em apenas 9 meses de mandato, como se a verdadeira função de um legislador fosse a produção de leis em escala industrial. Absurdo maior é destaque, em reportagem do Portal Bahia Notícias, sobre a completa irrelevância quanto a qualidade do que propõe: não importa se os projetos são bons ou ruins, apenas que sejam empilhados em grande número. (more…)

por Nathalia Motta

Coordenadora Local do Estudantes pela Liberdade

Um dos grandes desafios que os libertários enfrentam hodiernamente é a preocupação de alguns com a intimidade alheia. Inclusive dentre aqueles que se dizem defensores da liberdade.

Provavelmente muitos de vocês já devem ter ouvido alguém falar que deveríamos estar mais preocupados com a economia do que com a legalização da maconha, ou o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo. (more…)

Elinor OstromQuando você descobre o libertarianismo, há certos nomes que saltam à vista. É importante aprender com os gigantes intelectuais como Ayn Rand e Murray Rothbard, mas há muitos heróis anônimos que também merecem ser examinados. Nesta  série educacional , esperamos apresentar os estudantes a tais indivíduos. Embora nem todas as personalidades perfiladas aqui sejam explicitamente identificadas como libertárias, elas fizeram grandes contribuições para a causa da liberdade e merecem reconhecimento.

Quando eu estava no colégio, assisti um seminário de matemática que cobria a ideia da Tragédia dos Comuns. O orador usou a teoria dos jogos para explicar que, quando um bem é coletivo, os usuários são incentivados a sobreutilizar e esgotar este bem. Ele argumentou que regulação governamental é necessária para deter o sobreuso e o esgotamento. Tendo lido material libertário sobre a tragédia dos comuns onde foram oferecidas soluções alternativas através da privatização, eu argumentei com este professor. Entretanto, meus argumentos teriam sido muito diferentes e muito mais fortes se eu já conhecesse o trabalho da economista ganhadora do Nobel Elinor Ostrom. (more…)

por Luan de Menezes

Coordenador Estadual do EPL/AM

Escrevo esse artigo por dois motivos: primeiro é que venho fazer uma denúncia. Não uma denúncia tenebrosa, parece até boba nas atuais circunstâncias. Para nós estudantes não é lá muito novidade. Isso acontece e sempre aconteceu no âmbito brasileiro acadêmico. O segundo motivo que escrevo esse artigo é porque quero explicar a diferença basilar entre educação e doutrinação.  Um SPOILER: essa denúncia deveria ser tenebrosa e na academia brasileira não existe diferença entre educação e doutrinação.

Vamos começar pela denúncia. (more…)