Quantcast
Calendário
Rede do EPL
Apóie o EPL
Próximos Eventos

Quando você descobre o libertarianismo, há certos nomes que saltam à vista. É importante aprender com os gigantes intelectuais como Ayn Rand e Murray Rothbard, mas há muitos heróis anônimos que também merecem ser examinados. Nesta série educacional , esperamos apresentar os estudantes a tais indivíduos. Embora nem todas as personalidades perfiladas aqui sejam explicitamente identificadas como libertárias, elas fizeram grandes contribuições para a causa da liberdade e merecem reconhecimento.

Quando o mesmo homem ou grupo de homens segura a espada e a bolsa, há, então, o fim da liberdade.” – George Mason

Quem: George Mason (1725-1792) foi estadista norte-americano e delegado da Virgínia para a Convenção Constitucional dos Estados Unidos. (more…)

Postado originalmente no site do Clube Farroupilha

Por Mateus Maciel

Brasil e Chile já passaram por governos militares. No primeiro, o regime durou de 1964 a 1985 e no segundo de 1973 a 1990. Gostaria de deixar bem claro que não sou a favor de regimes totalitários e só irei analisar aspectos das políticas econômicas  desses períodos, segundo uma visão liberal. De fato, tanto o regime chileno, quanto o brasileiro, merecem ser profundamente criticados pelas violações a direitos humanos incorridas à época. (more…)

logo monopolyPostado originalmente no Clube Farroupilha

Por Felipe Rosa

Desde o início do ano estamos acompanhando uma verdadeira crise – essencialmente na capital gaúcha – nos ditos serviços essenciais à população: água, energia elétrica e transporte público (ver aquiaqui e aqui). Um dos mitos mais difundidos acerca do capitalismo e dos problemas do livre mercado é que estes quando combinados, normalmente, levam-nos aos temidos monopólios.

Na ânsia em nos “proteger” de tais monopolistas gananciosos o Estado (este benevolente) arroga-se o direito de ser ele o monopolista ou em uma forma mais branda regulador de determinado setor, decidindo unilateralmente quem nos fornecerá tais serviços mediante uma série de requisitos burocráticos e confusos que supostamente evitam o “poder de monopólio” do empresário perante o consumidor. No entanto, uma análise mais profunda sobre o que são monopólios já nos fornece a resposta básica sobre como estes surgem e quem os verdadeiramente fomenta – o Estado. (more…)

Na “5 livros para um liberal” desta semana chamamos Roberto Rachewsky para indicar cinco livros que todo liberal que procura uma filosofia para sua vida deveria ler. Roberto é empresário da área de comércio exterior. Fundador do Instituto Estudos Empresariais (IEE), do qual foi vice-presidente (1984-85) e presidente (1986-87). Também fundou o Instituto Liberal do Rio Grande do Sul, do qual foi vice-presidente na década de 1980. Participou da diretoria da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Porto Alegre, da Associação dos Dirigentes de Marketing e Vendas do Brasil do Rio Grande do Sul (ADVB-RS) e da Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul (Federasul). Atualmente, é conselheiro do IEE.

Separe o seu tempo e dinheiro para os livros e confira as recomendações de Roberto Rachewsky.

(more…)

Quem é John Galt
Em Junho de 2013, uma onda de protestos com estopim no aumento do preço dos bilhetes no transporte público de São Paulo tomou conta das principais cidades brasileiras. Agora, aproveitando-se das comemorações de fim de ano e a aproximação das férias, os governos municipais e estaduais de São Paulo engrenam um novo aumento livre de manifestações contrárias nas ruas.

Os protestos são compreensíveis. O nível dos transportes públicos, não só em São Paulo, mas em todo em Brasil, é sofrível. Atrasos regulares, veículos antigos, preços que não acompanham a qualidade, superlotação, são problemas tão comuns que o brasileiro já os incorporou a sua rotina.

Todos esses problemas tem uma causa central. O art. 30 da Constituição Federal de 1988 estabelece como competência privativa dos municípios a prestação do serviço de transporte coletivo e autoriza que tal se dê por meio de concessão. Nesse regime, apesar de companhias privadas atuarem, o estado garante que elas não vão ter concorrência em suas rotas, assim sem a pressão de outros competidores percebe-se a estagnação da atividade, através de um aumento sem fim dos preços, limitados apenas pela pressão popular, associados à não melhoria do sistema de transportes. Este permanece lotado e em ônibus com tecnologias que não acompanham o aumento de preços.

Com a barreira legal do modelo de concessões, são expulsos do mercado aqueles que não têm condições de disputar as licitações. Qualquer um que esteja disposto a enfrentar os preços altos e o péssimo serviço é proibido pelo estado de fazê-lo. Perueiros, taxistas informais, até aqueles que atendem via aplicativos como o Uber passam a atuar na ilegalidade, correndo os riscos típicos de atividades deixadas nessa situação. Fora a infinidade de outras soluções que poderíamos ter, mas nunca poderão sair do papel graças ao peso da lei.

Soluções que ampliam essa barreira, ou consistem em manter o sistema atual apenas subsidiando os grandes empresários do transporte para que os grupos X ou Y possam usar o sistema gratuitamente, além de consistirem em uma transferência de renda dos mais pobres que vão continuar pagando o preço cheio, para os donos das companhias e aqueles que não irão pagar, não resolvem os problemas já que a monopolização permanecerá.

Este é um caso claro em que o estado é o problema, não a solução.

Pequenos Guias para Grandes Ideias é uma série educacional do EPL de introdução a importantes pensadores libertários. Cada post é escrito para dar aos alunos com mentes abertas, um ponto de partida para aprender com os grandes provocadores e agitadores que contribuíram para as ideias de liberdade.

Henry Hazlitt“A arte da economia consiste em olhar não apenas o imediato, mas os efeitos a longo prazo de qualquer ato ou política; o que consiste em verificar as consequências dessa política não apenas para um grupo, mas para todos os grupos.” – Henry Hazlitt 

Quem:  Henry Hazlitt (1894-1993) foi um jornalista americano que escreveu sobre empreendimentos e economia para o The Wall Street Journal,  The Nation,  The American Mercury,  Newsweek e  The New York Times. Ele era muito conhecido e reconhecido nos círculos libertários e conservadores. (more…)

Por Felipe Rosa

salário mínimoTodo inicio de ano é a mesma coisa. Estamos todos desejosos de paz, saúde e dinheiro no bolso. No que tange a esse último desejo Brasília não desaponta os incautos e a esquerda ingênua desse país: aumenta o salário mínimo[1]. Considerado uma “conquista trabalhista”, assim como o décimo terceiro salário, o fundo de garantia por tempo de serviço, o seguro desemprego, etc. o salário mínimo possui uma natureza essencialmente perversa justamente contra aqueles que pretensamente essa política pretende proteger – os trabalhadores.

Antes que o leitor de inicio repudie tal afirmação (algo comumente feito) eu peço que leia o que nos diz a teoria econômica. (more…)

Este artigo foi escrito por Cláudio Alves Júnior. Conselheiro Executivo do Clube Luis Franco e coordenador do Estudantes pela Liberdade.

refletir

Muito já se disse e escreveu sobre o altruísmo, em abordagens tanto engrandecedoras quanto alertadoras quanto ao seu uso exacerbado, especialmente como “único parâmetro moral de avaliação de nossas ações”, mas se for possível estabelecer um consenso entre esses pontos do vista, esse consenso com toda a certeza residirá no reconhecimento do extremo poder motivacional que este sentimento é capaz de infligir no espírito humano.

E é exatamente sobre esse poder que pretendo refletir aqui, sobre o modo como um senso de solidariedade genuíno, racional e verdadeiramente preocupado com o futuro de nossos semelhantes, deve ter como “irmãos de luta” a humildade e a sinceridade necessárias para que saibamos retificar nossos equívocos ao longo de nossa jornada, bem como a esperança que deve ser a responsável por não permitir que desistamos de contribuirmos, na medida do possível, com o desenvolvimento pleno, material e espiritual de nossos irmãos, termo no qual se engloba toda a humanidade pois não? (more…)

Como o ano está se encaminhando para o final, vale à pena tomar algum tempo para refletir sobre os últimos doze meses e tudo o que tem sido realizado em prol da liberdade humana. É fácil concentrar-se nos negativos – brutalidade da polícia, inúmeras intervenções militares no exterior, hiperinflação ao redor do mundo, implementação do Obamacare, vigilância em massa perpetrada pela NSA, e assim por diante.

No entanto, a cada dia existem mais e mais histórias de coragem humana e colaboração entre diferentes grupos que se unem para combater o abuso do governo em nome da liberdade. Abaixo estão dez acontecimentos (em nenhuma ordem particular) que achamos qualificáveis como alguns dos maiores momentos libertários de 2014, além de duas menções honrosas. Certamente lista por ter sido feito por nossos amigos do Students for Liberty está um tanto quanto enviesada para os Estados Unidos, por isso, se você acha que tem uma lista mais abrangente, nós estimulamos você a enviá-la para nós como autor convidado e podemos publicá-la no blog EPL! (more…)

Leandro Narloch é jornalista e escritor brasileiro. Foi repórter da revista Veja – onde atualmente mantém um blog –  e editor das revistas Aventuras na História e Superinteressante. Também é autor dos best-sellers Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil, da América Latina e do Mundo. Convidamos o Leandro para indicar 5 livros que liberais deveriam ler sobre… biologia! Curioso, não? Separe o dinheiro, tempo e curta as indicações do Narloch: (more…)